Carregando Atividades

« Todas Atividades

  • Este Atividade já passou.

Mesa: Somos sementes – representatividade negra e disputa política no Estado brasileiro Tema: participação política negra

julho 25-15:00 - 17:00

Livre

Em 1932, por força de um decreto, o voto feminino foi assegurado no Brasil. Em 1934, Antonieta de Barros, mulher negra, professora, natural de Santa Catarina, tornou-se a primeira deputada do seu estado. Antes e depois desse episódio, temos assistido a múltiplos esforços de mulheres e homens negrAs para ocupar espaços da política institucional no Legislativo e no Executivo do país. O respeito a esse direito de se fazer presente, porém, segue sendo fragilizado de diferentes formas. Campanhas pelo “Voto Negro”, por exemplo, ainda são vistas com desconfiança, uma vez que possuímos profundas dificuldades em promover um debate franco sobre as evidentes desigualdades sócio-raciais. A trágica execução da vereadora Marielle Franco no Rio de Janeiro em 2018 deu provas de tudo isso. Mas, como nunca antes, essa desastrosa perda foi ressignificada e transformada em estímulo para a ampliação da presença, sobretudo, de outras mulheres negras e de mandatos comprometidos com o enfrentamento do racismo, do machismo, da LGBTfobia e outras práticas de exclusão que atingem não só a maioria da população, mas a nação como um todo. Mobilizada por esse cenário, a mesa “Somos sementes –representatividade negra e disputa política no Estado brasileiro” será uma oportunidade para uma reflexão compartilhada entre políticas negras com trajetórias diversas que estão na linha de frente das batalhas para que o poder legitimado pelo povo seja exercido em benefício do povo!

DebatedorAs:

Erica Malunguinho

PSOL – São Paulo/Brasil

Erica Malunguinho é transativista, arte-ativista, pretativista, agitadora cultural e educadora. Mestra em Estética e História da Arte. Tornou-se a primeira deputada estadual trans eleita no Brasil, em 2018, com mais de 55 mil votos no estado de São Paulo. Nascida no Estado de Pernambuco, vive em São Paulo há 17 anos. Antes de entrar na política institucional, trabalhou na educação de crianças e adolescentes, com ampla atuação na formação de professores. Erica é conhecida por ter parido, na região central da cidade de São Paulo, um quilombo urbano de nome Aparelha Luzia, território de circulação de artes, culturas e políticas pretas, visível também como instalação estético-política, zona de afetividade e bioma das inteligências negras.

Crédito da Foto: Heitor Salatiel

Regina Sousa

PT – Teresina/Brasil

Nascida na cidade de União em uma família de 14 irmãos, filha do trabalhador rural Raimundo Sousa Miranda, já falecido, e da dona de casa Maria da Conceição Silva Miranda, Maria Regina Sousa, 68 anos, foi a primeira mulher a assumir o Senado pelo Piauí. E em 2018, foi eleita vice-governadora do Estado do Piauí ao lado de Wellington Dias. Aos 10 anos já sabia plantar e colher feijão, milho e fava. Foi quebradeira de coco e observando o que acontecia com seus pais que moravam em terra alheia, ainda menina, compreendeu a necessidade da reforma agrária, expressão que aprendeu com um tio militante das Ligas Camponesas, através do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de União. É fundadora da Central Única dos Trabalhadores no Piauí, da qual já foi presidente estadual e membro da direção nacional. Começou a militância sindical em 1978. Formada em Letras com habilitação em língua portuguesa e língua francesa pela Universidade Federal do Piauí. Tornou-se professora em 1971, primeiro do ensino fundamental, depois no ensino médio e na Universidade. Ingressou no Banco do Brasil em 1983, quando mergulhou na atividade sindical, onde conheceu seu grande parceiro político, Wellington Dias – atual governador do Piauí. No Senado, realizou audiências públicas sobre direitos trabalhistas, terras indígenas e quilombolas, violência contra a mulher e a população LGBT, Previdência Social, combate ao racismo entre outros. É autora de vários projetos tramitando no Senado, dentre eles o que garante mais proteção social a crianças com pai ou mãe encarcerados, permite acervo de livros paradidáticos e de literatura infantil em salas de aula da educação infantil e dos cinco primeiros anos do ensino fundamental e o que garante transporte para mães e filhos recém-nascidos entre o local do parto e a residência, e da residência ao serviço de saúde para complementação de exames.

Olivia Santana

PCdoB – Salvador/Brasil

Olívia Santana foi eleita Deputada Estadual, pelo PCdoB-BA, em 2018. Formou-se em Pedagogia, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Iniciou a vida política em 1988, como presidenta do Diretório Acadêmico de Pedagogia e secretária de Educação e Cultura do Diretório Central dos Estudantes da UFBA. Foi vereadora de Salvador por 10 anos. Olívia foi titular da Secretaria de Educação e Cultura de Salvador, e na equipe do governador Rui Costa, dirigiu a Secretaria de Políticas para as Mulheres e a Secretaria do Trabalho Emprego Renda e Esporte da Bahia.

Mediação – Amarilis Costa

Advogada, Mestranda em Humanidades Direito e outras Legitimidades pela FFLCH – USP, Pesquisadora do GEPPIS – Grupo de Estudos e Pesquisas das Políticas Públicas para a Inclusão Social – EACHUSP, Professora de Direito e Gestão de Política Pública no Centro Paula Souza. Administradora da página Preta e Acadêmica.

Detalhes

Data:
julho 25
Hora:
15:00 - 17:00
Preço:
Livre
Categorias de Atividades:
, ,
Atividades Tags:
, , , , , , ,

Edição

Festival Latinidades 2019
E-mail:
contato@latinidades.com
Website:
www.afrolatinas.com.br

Local

Sala Jardel Filho – CCSP
Rua Vergueiro, 1000 - Paraíso,
São Paulo, São Paulo 01504-000 Brazil
+ Google Map
Telefone:
+55 11 3397-4002
Website:
http://centrocultural.pagina-oficial.ws/site/

Ingressos

Os ingressos não estão disponíveis, este Atividade já terminou.